“Trabalho não vai faltar aqui”, diz Anibal Diniz, ao tomar posse na Anatel

“Estou devidamente informado de que trabalho aqui não falta, principalmente em função do tempo que o Conselho tem funcionado de maneira desfalcada”. Foi o que afirmou o ex-senador Anibal Diniz (PT-AC), ao tomar posse ontem, em Brasília, como novo conselheiro da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), com mandato até quatro de novembro de 2019.

Considerando “desafiadora” a sua missão na Anatel, o senador e também ex-secretário de Comunicação do Governo do Acre disse que contará com o suporte de técnicos preparados da agência para exercer a função para a qual foi designado pela presidenta Dilma no dia dois deste mês.

A posse de Anibal Diniz contou com as presenças do ministro das Comunicações, André Figueiredo, do líder do governo no Congresso, José Pimentel (PT-CE), do senador Jorge Viana (PT-AC), dos deputados federais Leo de Brito (PT-AC) e Raimundo Angelim (PT-AC) e do prefeito de Tarauacá, Rodrigo Damasceno, entre outras autoridades.

Ao dar as boas-vindas ao novo conselheiro Anibal Diniz, o presidente da Anatel, João Rezende, disse que o setor de telecomunicações está no dia a dia das pessoas e listou números do mercado brasileiro. “Nos últimos anos, a Anatel tem atuado no sentido de ampliar a competição, buscar a qualidade de serviços e estimular o incremento da infraestrutura”, afirmou Rezende, citando iniciativas do órgão, como o leilão no ano passado da faixa de 700 megahertz (MHz) para o complemento do 4G no País.

João Rezende destacou que o edital para o leilão de sobras de radiofrequências já será sorteado para um relator no conselho diretor do órgão. O certame, que deve ser realizado em novembro, disponibilizará lotes municipais de faixas de 2,5 gigahertz (GHz) e 3,5 GHz, além de um lote de 1,8 GHz na região metropolitana de São Paulo.

“É primeira vez que Anatel faz uma licitação a nível municipal, o que vai permitir a participação de pequenos provedores que são importantes prestadores de banda larga fixa no interior do País”, acrescentou. O presidente da Anatel voltou a dizer que a revisão dos contratos de concessão de telefonia fixa é necessária, citando, por exemplo, a quantidade de orelhões ociosos em todo o País.

Ao falar da posse de Anibal Diniz no Conselho Direto da Anatel, o deputado federal Leo de Brito destacou que, com toda a bagagem acumulada nos anos de trabalho na área da comunicação, “tenho certeza que ele (Anibal) terá sucesso nesse novo e importante desafio”.

Romerito Aquino