Temer cancela recursos para conclusão de obras do Shopping Popular na capital

Como se não bastassem os cortes realizados na educação, saúde, cultura, previdência e movimentos sociais, o presidente interino Michel Temer, cancelou a liberação de recursos que seriam utilizados na fase final das obras do Shopping Popular, em Rio Branco. Sem dar nenhuma explicação, o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves mandou suspender o empenho de quase R$ 8 milhões, prejudicando o trabalho da prefeitura e o beneficio que seria gerado aos camelôs e feirantes, da região central da capital acreana.

Diante do perigo eminente de ter uma obra, como a do Shopping Popular paralisada, o deputado federal Leo de Brito, também presidente da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle (CFFC) da Câmara Federal, entrou na luta para frear mais uma manobra do governo Temer. No âmbito da CFFC, o parlamentar apresentou requerimento exigindo explicações do Ministério do Turismo, e nesta quarta-feira, 8, o pedido foi aprovado. Em defesa dos camelôs, feirantes e suas famílias, Leo de Brito está cobrando que o Ministério do Turismo esclareça a suspenção da verba para finalização da obra.

“Esse valor foi empenhado, ainda presidenta Dilma, que entendia a necessidade e a importância da obra. Posteriormente eu e o senador Jorge Viana estivemos com o atual ministro do Turismo, e ele nos garantiu que daria continuidade ao projeto. Precisamos entender o que houve para tamanha rasteira. Prefiro não acreditar que se trata de uma perseguição política”, disse.

Leo afirmou ainda que não cruzará os braços diante de tamanha injustiça. “Nós não vamos aceitar. Meu papel enquanto presidente desta comissão e representante do povo é fiscalizar cada manobra desastrosa desse governo golpista e não cessar diante de tantas tentativas de prejudicar a classe trabalhadora do Brasil, aqueles que mais precisam do nosso apoio”, afirma.

O Presidente do Sindicato dos Camelôs e Feirantes de Rio Branco, José Carlos Juruna, declarou-se preocupado com a situação. “Querem destruir o sonho de mais de 500 famílias, que lutam há vinte anos pela melhoria das condições de trabalho. O que faremos se esse corte acontecer? O que faremos com todo o esforço da prefeitura e a dedicação de cada trabalhador e trabalhadora?”, lamentou.

Mais dignidade aos pequenos comerciantes de Rio Branco

Muito mais que a organização do centro de Rio Branco, a construção do Shopping Popular representa mais dignidade e melhoria na qualidade de vida de centenas de camelôs e feirantes. Pequenos empreendedores que há mais de 20 anos têm o comércio como sua única fonte de renda.

Depois de passarem pela tragédia ocorrida em dezembro de 2013, quando ao menos 20 boxes do antigo camelódromo, foram acidentalmente incendiados, os camelôs e feirantes da região enxergaram na construção de um centro popular de compras, a saída para os prejuízos e danos causados com o acidente.

O prédio, que terá três andares construídos em uma área de 12 mil metros quadrados, está localizado ao lado do Terminal Urbano da capital, local de muita circulação de pessoas durante todos os dias.

A obra está prevista no Projeto de Requalificação da Orla do Rio Acre e vai contemplar mais de 400 pequenos comerciantes, com investimento do governo federal e da prefeitura de Rio Branco, que ultrapassam a marca dos R$ 18 milhões. Além da construção do shopping, o projeto prevê toda revitalização do Calçadão da Bejanmin Constant.

Quando estiver funcionando, o Shopping Popular deve criar, aproximadamente, 1.300 novos postos de empregos, diretos e indiretos.

Obra humanizada

O alcance social provocado pela realização deste projeto também é um grande incentivo aos pequenos empreendedores do camelódromo. Além da obra, os camelôs também participarão de cursos de capacitação, das mais variadas vertentes, numa parceria do município com o Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).