PT tenta excluir possibilidade de mineração na Floresta Nacional do Jamanxim

O deputado Leo de Brito (PT-AC) defendeu o destaque de seu partido que pretende proibir atividades de mineração na Floresta Nacional do Jamanxim. O destaque pretende retirar dispositivo da Medida Provisória 756/16, aprovada há pouco na forma do projeto de lei de conversão do relator, deputado José Priante (PMDB-PA).

O texto aprovado altera os limites da Floresta Nacional (Flona) do Jamanxim, no município de Novo Progresso, no Pará, para criar a Área de Proteção Ambiental (APA) do Jamanxim.

“Vai ser o maior absurdo se nós permitirmos atividades minerárias dentro de unidades de conservação. Quando se fala de mineração, está se falando de mortandade de peixe, poluição da água, subterrânea e dos rios, e de processos de erosão do solo”, disse Leo de Brito. “E é claro que, para que se tenha mineração dentro de áreas de preservação, vai ter que ocorrer supressão de vegetação”, acrescentou.

Já o deputado Pompeo de Mattos (PDT-RS) rebateu Leo de Brito. “Parece muito claro que não deveria haver exploração de mineração nessa área de Jamanxim, mas isso já está previsto no Decreto 3/06, apresentado e assinado pelo ex-presidente Lula. Foi ele que assinou e autorizou o manejo nessa área”, disse Mattos.

Reportagem – Murilo Souza
Edição – Pierre Triboli

Site da Câmara dos Deputados