Leo de Brito: modelo Marcus Alexandre será replicado nas eleições do interior

Com isso, o deputado petista prevê que a Frente Popular deve voltar a conquistar a maioria das prefeituras do Estado

A Frente Popular já tem uma fórmula para voltar a conquistar a maioria das prefeituras nas eleições municipais do próximo ano. Pretende apresentar candidatos com perfis parecidos com o do prefeito Marcus Alexandre, candidato à reeleição em Rio Branco.

“O modelo Marcus Alexandre, que está sempre no meio do povo e entende as reais necessidades da população, deve ser replicado para os demais municípios nas próximas eleições”, assinala Leo de Brito, deputado federal e ex-presidente do PT acreano, ao falar da capacidade que seu partido tem de se reinventar para mostrar sempre algo novo a cada eleição, capaz de superar até o desgaste natural de comandar o estado por 20 anos.

Segundo o deputado, neste momento já estão ocorrendo intensas negociações dentro da Frente Popular para definir os candidatos a prefeitos e vereadores nos 22 municípios do estado. “O partido está se preparando, está fazendo novas filiações, destacando lideranças e organizando as alianças e as candidaturas. Acredito que a Frente Popular ainda se consolida como uma frente forte, que terá candidaturas em todos os municípios do estado”, completa o deputado, ao destacar que as negociações estão sendo realizadas de maneira democrática pelos partidos da Frente Popular.

Leo de Brito lembra que houve, nas últimas semanas, algumas turbulências na Frente Popular, mas os rompimentos e as perdas que ocorreram foram mínimas, em nada alterando a determinação dos frentistas de reconquistarem as prefeituras perdidas para a oposição, em especial no Vale do Alto Acre, onde o PT reinava até 2012.

Segundo o deputado, no âmbito da Frente Popular, será formado “um grande e bom tabuleiro” para as disputas de 2016, quando devem ser mantidas as prefeituras já governadas por prefeitos da coligação, entre elas Rio Branco, Feijó, Tarauacá e outras, e conquistadas outras, como as de Xapuri, Brasiléia e Assis Brasil, locais onde a oposição tem se desgastado bastante.

“É difícil dar um número especificamente, mas acredito que nas últimas eleições o tabuleiro ficou mais ou menos dividido entre as prefeituras que foram conquistadas pela Frente Popular e as conquistadas pela oposição. Acredito que nas eleições de 2016, nós temos condições de eleger mais prefeitos do que a oposição”, completa Leo de Brito.

O deputado explica que a definição dos nomes dos candidatos a prefeito da Frente Popular vai variar de município para município. “Nos municípios onde a gente tem prefeitos a tendência é que os prefeitos sejam candidatos à reeleição. Mas não vamos apressar o debate sobre candidaturas nos demais municípios, trabalhando mais na perspectiva administrativa das realizações. Agora, em lugares onde a gente é oposição advogo que é importante unificar as forças da Frente Popular, unificar o Partido dos Trabalhadores e também afunilar em nomes para as eleições do ano que vem”, assinala.

PT tem de estar permanentemente se reinventando

Lembrando que as eleições municipais de 2016 terão campanha curta, de apenas 45 dias, conforme definiu a mini-reforma eleitoral aprovada recentemente pelo Congresso, Leo de Brito assinala que a crise nacional deve afetar as eleições do próximo ano.

“De alguma maneira, o partido (PT) está sendo atingido por essa crise. Nós vamos ter que trabalhar muito para que a gente possa ter um bom resultado no número de prefeituras que pretendemos conquistar em 2016”, ressalta o deputado.

Por outro lado, o deputado prevê menos turbulência nas eleições de 2018. “Nós vamos sair dessa crise e creio que em 2018 vamos ter o Lula candidato a presidente e, em qualquer cenário, mesmo no cenário de desgaste, ele entra como candidato de muita estatura e competitividade para a gente ganhar mais uma vez no plano nacional e nos governos estaduais”, aposta Leo de Brito.

Para fugir do desgaste natural de ficar muito tempo no poder, o deputado aposta na capacidade permanente da Frente Popular de se reinventar. “Um projeto que chegou tão longe como o da Frente Popular, que vai completar 20 anos em 2018, tem de estar, permanentemente, se reinventando”, assinala Leo de Brito.

Para 2018, a reinvenção, segundo o deputado, será a continuidade do processo de agroindustrialização do estado, com o fortalecimento das suas cadeias produtivas, como sendo executado com muito sucesso pelo governador Tião Viana.

“A gente precisa estar reforçando cada vez mais a educação, a expansão da rede de educação, as oportunidades da qualificação profissional da juventude, do acesso à universidade, das novas tecnologias, que são fundamentais para o Acre”, assinala Brito.

Da mesma forma, o parlamentar defende o fortalecimento das novas tecnologias, o aproveitamento da cultura da biodiversidade do Acre e o potencial do estado perante os países da própria região Andina e dos países da Ásia. “Nós temos um potencial grande no Acre, que, a cada passo, faz com que a gente possa estar se reinventando e cada vez mais se fortalecendo. Então, esse é o grande desafio que nós vamos ter até 2018. O governador Tião Viana já está apontando para alguns rumos que são importantes serem adotados pelos nossos candidatos”, conclui o deputado.

Romerito Aquino