Leo de Brito integra força-tarefa do Estado para enfrentar seca histórica

Na última quinta-feira, 7, o governo do Estado decretou situação de emergência em toda bacia do Rio Acre. O manancial tem registrado os menores níveis dos últimos 45 anos e comprometido o sistema de captação e abastecimento de água. O poder público se prepara para viver a pior seca da história do estado.

Para unir forças ao governo e à prefeitura de Rio Branco, o deputado federal Leo de Brito visitou a Sala de Situação da Força-Tarefa 2016, instituída pelo governo, para desenvolver ações de combate e monitoramento da seca, na manhã desta sexta-feira, 8.

O parlamentar foi recebido pela coordenadora da sala, Dra Vera Reis, pelo coordenador da Defesa Civil do Estado, Coronel Carlos Batista e o coordenador da Defesa Civil de Rio Branco, Coronel George Santos. Os especialistas mostraram um panorama da situação do Rio Acre, em comparação há outros anos, nesta mesma época.

“Vivemos um momento crítico em 2005 e em 2010, e apesar de não termos registrado uma seca dessas proporções nestes dois anos, em 2015 o número de focos de calor foi bem maior que em 2005, quando vivemos o período conhecido como sinistro. Precisamos estar atentos porque 2016 vem se apresentando num estado ainda mais crítico. Seguimos sob o efeito do fenômeno natural El niño, que reduz a quantidade e o volume de chuvas, aumenta a temperatura e a umidade relativa do ar. O cenário climático é muito desfavorável”, explicou Vera Reis.

A equipe técnica da sala de situação apresentou ao deputado o resultado de um estudo parcial realizado em toda extensão da bacia do Rio Acre, com o intuito de encontrar uma solução definitiva para assoreamento e vazão do rio, e demonstrou a necessidade urgente de instituir um Grupo de Trabalho que possa se aprofundar nos estudos e alcançar uma solução.

“Como presidente da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle (CFFC) podemos providenciar a realização de uma audiência pública, com todas as entidades federais capacitadas a ajudar nesse problema, uma vez que a crise provocada pela seca se alastra por toda região amazônica, atingindo outros estados além do Acre”, comprometeu-se Leo de Brito.

Trabalho integrado

O governo do Estado, em parceria com Agência Nacional de Águas (ANA) instalou uma Unidade de Situação Hidrometeorológica, capaz de emitir alertas de 15 em 15 minutos, via satélite, sobre a situação dos rios. São 35 Plataformas de Coleta de Dados (PDC) espalhadas nas principais regiões do estado, além de uma sessão de réguas, que garantem um resultado ainda mais preciso das informações geradas a partir do monitoramento.

Por ser o único do país que utiliza a unidade de situação durante todo o ano, o Acre é considerado o um modelo de bom desempenho para as demais unidades da federação, uma vez que a ANA garantiu o funcionamento de uma unidade de situação em cada estado do Brasil.

Mobilização popular

Durante o encontro, o deputado falou sobre a importância de colaboração da população neste momento. “A colaboração da população nesse momento é crucial. Governo e prefeitura estão empenhados em conter os efeitos dessa seca, eu também estou me unindo ao poder público para enfrentar esse problema, mas sem a contribuição da população será impossível. É salutar ao processo que, os cidadãos estejam conscientes do uso racional da água e das queimadas urbanas, que prejudica o meio ambiente e a saúde pública”, enfatizou Leo de Brito.