Leo de Brito entra na briga para barrar fim da internet ilimitada

Signatário da Frente Parlamentar Pela Internet Livre e Sem Limites, criada nesta semana com o intuito de barrar resolução da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) que pode dar fim ao pacote ilimitado, o deputado federal Leo de Brito tem se posicionado firmemente contra a medida. A frente entrou com representação na Anatel pedindo a apuração de infrações das operadoras de telefonia.

“Faço parte dessa Frente Parlamentar, que inclusive entrou com uma representação junto à Anatel para que tome providencias em relação a isso. E também temos a notícia boa de que o ministro das Comunicações, André Figueiredo, na última quarta-feira (20) afirmou que vai fazer um acordo com as operadoras no sentido de que seja mantido os pacotes ilimitados. Então nós vamos continuar nessa guerra”, afirmou o deputado.

De acordo com a resolução, o consumidor só terá a opção de contratar determinados pacotes de dados que, ao terem a franquia excedida, a operadora suspende o serviço ou diminui a velocidade de conexão. O Ministério das Comunicações garantiu que exigirá, através de medidas, que as operadoras sigam oferecendo o serviço ilimitado. De acordo com Leo, a frente também ficará atenta para que os preços dos pacotes, que já não são baixos, não passem a subir ainda mais.

“Com essa ação do ministro aliada a iniciativa dos parlamentares, eu acredito que eles vão ter que recuar. Porque é uma grita geral, a sociedade civil como um todo não vai aceitar esse tipo de ação que é fruto dos lobbys empresariais”, acredita.

Membro da CPI dos Crimes Cibernéticos, Brito afirma que limitar a internet trata-se de mais um dos retrocessos que vêm sendo acompanhados no país, ferindo o Marco Civil da internet. “É um absurdo isso que está acontecendo, porque é um verdadeiro retrocesso. Além do acesso à internet, na CPI estão querendo reduzir a privacidade e a liberdade de expressão e não podemos compactuar com isso”, finalizou.