Leo de Brito e Sibá Machado se reúnem com ministro Cid Gomes para tratar da Educação do Acre

O deputado federal Leo de Brito e o líder do PT na Câmara, Sibá Machado, solicitaram uma reunião com o ministro da Educação, Cid Gomes, realizada na terça-feira, 24, em Brasília, para discutir pautas prioritárias da Educação do Acre. Na ocasião, os parlamentares enumeraram demandas referentes ao ensino médio, superior e técnico, e falaram da intenção de levar novas unidades da Ufac e do Instituto Federal do Acre, para os municípios de Feijó, Sena Madureira e Brasileia.

Os deputados solicitaram do ministro apoio para a liberação de recurso pelo FNDE – Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, destinado à construção de 10 escolas na Cidade do Povo, mais 49 escolas indígenas, bem como à aquisição de 10 transportes escolares. “O ministro se comprometeu a fazer este encaminhamento ao FNDE, e eu também vou conversar com o diretor do Fundo, para que essa verba seja disponibilizada”, garante Leo de Brito.

Ex-professor da Universidade Federal do Acre (Ufac), Leo de Brito falou de sua intenção de compor a Comissão de Educação na Câmara, direcionando seu mandato para este setor, com foco na geração de oportunidades, especialmente para a juventude. Uma das questões levantadas pelo deputado foi a necessidade da atualização dos dados da PEA (População Economicamente Ativa), junto ao IBGE, para que seja possível a ampliação de vagas do Pronatec para o Estado.

“Conversei com a Rita Pato, diretora do Instituto de Educação Profissional Dom Moacyr, no Acre, e este dado está defasado. A última atualização é de 2005, e como a PEA está diretamente relacionada ao número de vagas disponibilizadas por município, precisamos que seja revista com urgência, para que o Pronatec possa beneficiar mais pessoas no nosso Estado”, pontuou Leo de Brito.

Durante a reunião, o deputado Sibá Machado reafirmou seu interesse de atuar na área de Ciência, Tecnologia e Pesquisa. “A bancada do PT do Acre está fortalecida e determinada a apoiar as questões da educação”, disse Machado.