Leo de Brito defende novas eleições diretas em discurso no plenário

Após o anúncio de que a Comissão de Constituição e Justiça do Senado Federal aprovou, na última quarta-feira (31) a PEC 67/2016, que prevê eleições diretas para Presidente e Vice-Presidente da República em caso de vacância desses cargos nos três primeiros anos do mandato, o deputado federal Leo de Brito se manifestou em discurso no plenário da Câmara nesta quinta-feira (1). Ele defendeu a renúncia de Michel Temer seguida de novas eleições.
“Em todo país, a sociedade civil organizada se mobiliza com protestos para que esse presidente golpista renuncie ao cargo e assim o nosso Brasil tenha plenas condições de voltar ao caminho do crescimento”, afirmou o deputado.
A lei atual estabelece eleições indiretas, ou seja que o Congresso Nacional eleja o novo chefe do Executivo, quando a vacância dos cargos de Presidente e Vice-Presidente da República ocorrer nos dois últimos anos de mandato. A PEC 67/2016 prevê eleições diretas em até 90 dias do afastamento do presidente. A proposta é do senador Randolfe Rodrigues sob relatoria do senador Lindberg Farias.
Para o deputado, levando em conta o atual momento político, a proposta está em conformidade com a vontade da população, uma vez que mais de 90% se disse favorável a novas Eleições diretas em consulta pública realizada pelo site do Senado ainda no ano passado.

“Não vamos aceitar participar de qualquer movimento de eleições indiretas porque acreditamos que o povo tem o direito de escolher. Finalizo fazendo um apelo aos nobres colegas deputados: Não tenham medo de deixar a população decidir o próximo presidente. Como bem ensina a nossa constituição: Todo poder emana do povo”, argumentou Brito.