Leo de Brito apresenta PL que torna mototaxímetro obrigatório em cidades com mais de 40 mil habitantes

O deputado federal Leo de Brito apresentou, nesta quinta-feira (29), na Câmara, um projeto de lei que institui a obrigatoriedade do uso de mototaxímetro no país, em municípios com mais de 40 mil habitantes. O PL altera a lei 12.009, sancionada em de 29 de julho de 2009, que regulamenta o exercício das atividades do mototaxistas no Brasil, estabelecendo os requisitos necessários para o exercício da profissão.

Em sua justificativa, o parlamentar destacou a Lei n° 12.587, de 3 de janeiro de 2012, que instituiu as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana e determinou aos municípios a competência para fixação prévia dos valores máximos das tarifas a serem cobradas pelo serviço de mototáxi.

“Nesse sentido, faz-se necessário estabelecer, em caráter nacional, um parâmetro confiável e seguro aos profissionais e usuários do serviço, no sentido de conferir maior precisão aos deslocamentos realizados”, assinalou o deputado.

Desde agosto desse ano, a pedido dos próprios segmentos da categoria de mototaxistas, Brito vem intermediando junto ao INMENTRO a fabricação dos aparelhos com o intuito de realizar a medição de valores a serem pagos pelo usuário de mototáxi, baseada no tempo e na distância. Já existem estudos em estágio avançado, desenvolvidos e acompanhados pelo instituto, que apontam para a total viabilidade do uso do equipamento nas cidades brasileiras.

Em sua última visita ao Acre, o deputado se reuniu com os presidentes da Fernordest, Pedro Mourão, e do Sindicato dos Mototaxistas do Acre, Luiz Araújo, que agradeceram o apoio de Leo e ressaltaram necessidade do projeto.  Segundo o diretor de transporte de RBtrans, Jô Luiz, a iniciativa irá beneficiar de forma direta e indireta 1200 mototaxistas somente em Rio branco e 800 mil em todo o Brasil.