Deputado denuncia corte de Temer em investimentos no Acre, de mais de R$ 100 milhões

 

Nesta quarta-feira, 5, o deputado federal Leo de Brito usou seu espaço no Plenário da Câmara Federal para denunciar o corte de mais de R$ 100 milhões, em emendas impositivas, destinadas pela bancada do Acre, para investimentos em segurança pública e ramais no Estado.

O ministro da Justiça, Osmar Serraglio e a bancada federal do Acre estiveram reunidos na manhã desta quarta-feira para tratar dos R$ 70 milhões, que seriam aplicados no fortalecimento da segurança pública no estado do Acre.

“O que presenciamos foi o total descompromisso do governo federal com o povo do Acre. Fizemos um esforço conjunto para destinar esses R$ 70 milhões para ações de segurança pública e nos deparamos com um corte de R$ 33 milhões, contingenciando o valor da emenda para R$ 37 milhões. Um verdadeiro absurdo. O que a gente espera e vai cobrar do governo federal é que pelo menos no que foi proposto, que eles cumpram e garantam a liberação desse recurso ainda esse ano, porque a população tem pressa em ter esse reforço na segurança”, ressaltou Leo de Brito.

O secretário de Segurança Pública do Acre, Emylson Farias, também participou da audiência e destacou o empenho dos parlamentares acreanos. “O que a gente enxergou na bancada foi união, um esforço suprapartidário, mas, infelizmente, o que tivemos em relação ao trato do Ministério da Justiça com a segurança pública não foi o melhor. A gente espera que essa união entre os parlamentares continue e que assim esse recurso se materialize em melhorias na segurança pública do estado do Acre”, disse.

Além do corte na segurança, o governo federal anunciou também redução na emenda que a bancada tinha destinado para o melhoramento de ramais no Acre. De R$ 150 milhões previstos, o governo reduziu para R$ 81 milhões.

Para Leo de Brito a situação é crítica e preocupante. “É bom que se lembre que isso é fora as emendas individuais, isto é, temo pelo que ainda estar por vir. Além disso, me preocupo muito com a continuidade de obras do governo federal, como por exemplo, a ponta sobre o rio Madeira e a manutenção da BR 364, que atingem diretamente todo povo acreano”, afirmou.