Convidado por Leo de Brito, presidente da Funai enaltece na Câmara a Conferência Indígena

Romerito Aquino

Convidado pelo deputado federal Leo de Brito (PT-AC), o presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), João Pedro Gonçalves, disse ontem na Comissão da Amazônia, da Câmara dos Deputados, que o indigenismo nacional vive um grande momento com a realização da primeira conferência nacional sobre a política indigenista brasileira.

Para isso, João Pedro convocou os representantes dos povos indígenas de todo o país, da sociedade civil, das organizações não-governamentais e do governo a participarem da 1ª Conferência Nacional de Política Indigenista, que ocorrerá em Brasília entre os dias 14 e 17 deste mês.

Ao falar do depoimento do presidente da Funai, o deputado Leo de Brito destacou que a presença de João Pedro na Câmara ocorre no momento em que as forças progressistas do país estão na resistência a algumas ações políticas de retrocesso em relação à política indigenista e aos direitos dos povos indígenas.

Leo de Brito apontou como retrocessos a PEC 215, que ameaça a demarcação das terras indígenas, o Código de Mineração e a criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) contra a Funai. “Essas ações todas se destinam a retroceder em relação às conquistas alcançadas em favor dos povos indígenas do nosso país”, assinalou Leo de Brito.

O deputado petista apontou como um dos mais graves retrocessos impedir que os índios brasileiros não tenham acesso ao direito à terra. “As terras dos índios são fundamentais para as suas vidas, para o seu desenvolvimento, a sua cultura, aos seus modos de vida e aos seus valores”, completou o parlamentar.

 

Avanços em favor dos índios brasileiros

O deputado Leo de Brito ressaltou que, ao mesmo tempo em que se encontra na resistência ao fim dos direitos indígenas, as forças progressistas querem discutir avanços em favor dos índios. “Nós estamos discutindo também quais os avanços que podemos ter na educação indígena, na saúde, no etno-desenvolvimento e como é que podemos trabalhar essa perspectiva uma vez que temos hoje em torno de um milhão de indígenas no nosso país. E devemos preservar a sua cultura e o seu modo de vida para a eternidade”, assinalou.

Leo de Brito se disse satisfeito com o depoimento do presidente da Funai. “Estou muito feliz com a presença do presidente da Funai aqui, que vem esclarecer e mostrar alguns resultados da primeira conferência que estará acontecendo sobre as políticas indigenistas.

“Também temos que avançar no Estatuto Indígena, que ainda é da década de 1970. Temos um conjunto de pautas que é fundamental não só para ficar na reação, mas desenvolver uma pauta produtiva para fortalecer as políticas indigenistas”, concluiu o deputado Leo de Brito.