Contra a PEC da devastação, deputado une forças aos ministérios públicos Federal e Estadual

Conhecida como PEC da devastação, a Proposta de Emenda Constitucional 65/2012 prevê o fim da obrigatoriedade de apresentação do licenciamento ambiental em obras públicas. De acordo com o texto, se o empreendedor apresentar um simples Estudo de Impacto Ambiental (EIA), nenhuma obra poderá mais ser suspensa ou cancelada. De autoria do senador da república, Acir Gurgacz (PDT), o projeto tem como relator o atual ministro da agricultura, do governo Temmer, Blairo Maggi.

Aprovada, em abril, pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do senado, o projeto representa a sentença de morte do licenciamento ambiental no país. No Acre, o deputado federal Leo de Brito é o primeiro parlamentar a fazer parte do enfrentamento à PEC da devastação.

Na última semana, o parlamentar esteve reunido com a procuradora de justiça do Ministério Público do Estado, Patricia Rego e com o procurador da república, Marino Lucianelli Neto. Em todo país Ministérios Públicos Federais e Estaduais têm adotado um posicionamento contrário à PEC. Em parceria, os dois órgãos vão realizar uma audiência pública, em Rio Branco, com o objetivo de debater a proposta.

Leo de Brito comprometeu-se em unir forças aos ministérios públicos e lutar contra a PEC 65. “Se aprovada, essa proposta afeta diretamente a Amazônia e pode trazer danos irreparáveis a todas as conquistas que alcançamos no Acre, como a redução na taxa de desmatamento, por exemplo. Faço questão de estar nessa luta junto ao ministério público federal e estadual para barrar esse retrocesso”, disse.

A audiência pública será realizada dia 10 de junho, às 8 horas, no auditório da Procuradoria da República no Acre. “Convidamos o Leo para fazer parte dessa corrente em favor do Meio Ambiente, porque sabemos que ele é um parlamentar engajado na causa e como professor da área poderá contribuir muito com o debate”, afirmou Patrícia Rêgo.

 

Paula Amanda, da Assessoria