ARTIGO – Os fantasmas da velha política

No momento em que o PMDB mostra a face como o partido mais corrupto e covarde da história do Brasil, com a chegada à Presidência da República de forma interina por meio de um golpe, alguns fantasmas da política acreana começam a querer mostrar a cara.

É o caso do deputado federal Flaviano Melo, um engenheiro que nunca exerceu a profissão e que tem demonstrado ser muito ruim em fazer contas e cálculos.
Na verdade, a única conta bem feita ao longo da sua trajetória foi a que trouxe prejuízos milionários aos cofres públicos: a conta fantasma Flávio Nogueira, que desviou milhões de reais do erário, sendo considerado o maior escândalo de corrupção da nossa história amazônica.
Animado com o governo golpista, Melo se esquece do enorme telhado de vidro sobre a sua biografia. Trata-se de um ex-governador cuja marca principal de sua administração foi a corrupção, que fretava avião e alugava carro com placas frias para participar de festas no Rio de Janeiro bancadas com o seu, o meu, o nosso dinheiro.
Flaviano Melo foi um dos apoiadores mais tenazes para que o senhor Eduardo Cunha assumisse a presidência da Câmara dos Deputados. Cunha é réu em diversas ações no STF por um motivo só: corrupção.
Corrupção, aliás, deveria fazer parte do estatuto do PMDB. Aqui no Acre, nesta semana, operação desencadeada pela Polícia Federal eviscerou a forma peemedebista de governar.
Em Brasileia, município a pouco mais de 200 quilômetros de Rio Branco, o prefeito peemedebista Everaldo Gomes e mais quatro secretários municipais foram afastados das suas funções por desviarem recursos públicos.
A mesma operação levou à cadeia o ex-prefeito Aldemir Lopes, que é dirigente estadual e um dos gurus peemedebista umbilicalmente ligado a Flaviano Melo.
Deve ser para desviar o foco dos escândalos nacionais e os locais que Flaviano Melo decidiu ir aos meios de comunicação tentar agredir aos Partido dos Trabalhadores e ao governo do Estado.
Ora, que moral tem uma pessoa com o seu prontuário para apontar os dedos para alguém? O povo acreano conhece o modus operandi do peemedebista. Trata-se de um homem que trabalha no submundo da politica, sempre manobrando para aferir vantagens pessoais.
Flaviano Melo tem um PMDB para chamar de seu, que elimina o surgimento de novos quadros com o fito único de se perpetuar com mandato e manobrar as peças da engrenagem partidária ao seu bel-prazer.
Por fim, deixamos claro que estamos abertos ao debate, sem medo de comparar. Mas não aceitaremos passivamente ataques e ofensas, venham de onde vir. Até mesmo de fantasma.

Ermício Sena – Presidente Estadual do PT/AC