A pedido de Leo, CPI dos Crimes Cibernéticos ouvirá Joanna Maranhão

A Comissão Parlamentar de Inquérito destinada à apuração de Crimes Cibernéticos da Câmara dos Deputados aprovou, nesta semana, requerimento apresentado pelo deputado Leo de Brito (PT-AC) solicitando a participação da nadadora olímpica Joanna Maranhão na CPI. Joanna é fundadora da ONG Infância Livre, que desenvolve trabalhos de auxílio a crianças e adolescentes que sofreram algum tipo de violência sexual.

“A vinda de Joanna à CPI contribuirá com o compartilhamento de sua experiência de trabalho desenvolvido em sua ONG, além de ajudar a direcionar os trabalhos da comissão nos pontos centrais para prevenção e combate à pedofilia na internet”, afirma o deputado Leo de Brito.

A solicitação atende a um dos eixos de trabalho desenvolvido pela sub-relatoria da CPI para investigação de Crimes Contra a Criança e o Adolescente. Neste mesmo foco, a comissão já ouviu órgãos que desempenham atividade de proteção infantil contra crimes cibernéticos, como o Conselho Nacional de Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), além do Senador Magno Malta, que em 2008 presidiu a CPI da Pedofilia no Senado Federal.

O parlamentar também já apresentou requerimento solicitando a participação na CPI do delegado Fábio Morais de Paula, responsável pelas investigações da Operação Gênesis, que visa o combate à pornografia na internet, deflagrada pela Polícia Federal na manhã do dia 2 de setembro.