“A Eletrobras é um patrimônio do povo brasileiro” disse Leo de Brito

Parlamentares da Bancada do PT na Câmara se revezaram na tribuna nesta quarta-feira (23) para criticar a decisão do governo golpista de Temer em privatizar a Eletrobras, estatal estratégica para o setor energético do País. “Lamentavelmente, esse governo quer destruir um modelo vitorioso, que fez este País continental promover a universalização da energia, o acesso à energia como um direito do povo brasileiro. A energia está barata, sim, porque são 47 mil megawatts controlados pela Eletrobras”, afirmou o deputado Pedro Uczai (PT-SC).

Na avaliação de deputado do PT catarinense, Temer quer destruir o modelo vitorioso da modicidade tarifária, que permite o menor preço para o consumidor. “É por causa do modelo da modicidade tarifária — modelo vitorioso desde 2004 — que os leilões são pelo menor preço. E esse governo golpista quer destruir também a garantia do fornecimento de energia ao povo brasileiro. Não é possível que uma família ou uma empresa fiquem no escuro, sem luz”, protestou.

O deputado Leo de Brito (PT-AC) destacou o trabalho feito pelos governos Lula e Dilma para fortalecer e integrar o sistema elétrico brasileiro. “Houve programas importantes, que foram fortalecidos pelo Ministério das Minas e Energia e pela Eletrobras, como o programa Luz para Todos, que foi um dos programas revolucionários do governo Lula e beneficiou os 27 estados da Federação” citou.

E agora, lamentou Leo de Brito, o governo vem com essa proposta de privatização. “A Eletrobras é um patrimônio do povo brasileiro. E nós sabemos quais serão as consequências dessa privatização. Há exemplos de operadoras de sistema elétrico que, como no caso do Pará, tiveram 200% de aumento da tarifa acima da inflação. Então, quem vai pagar mais é o usuário”, criticou.

Para o deputado Leonardo Monteiro (PT-MG) trata-se, mais uma vez, de uma proposta do governo golpista para aumentar a pauta da maldade contra o povo brasileiro. “Há uma sequência de golpes acontecendo neste País. Nós tivemos a PEC 55, aprovada aqui neste plenário sem o nosso voto. O nosso País vai ficar 20 anos sem ter investimento na educação e na saúde. Depois, tivemos a Reforma Trabalhista e a proposta de Reforma da Previdência, que é um absurdo! Então, é uma sequência. E agora, a proposta de privatização da Eletrobras, temos que resistir”, defendeu.

Desmonte – O deputado Waldenor Pereira (PT-BA), ao falar do desmonte do governo Temer, fez uma comparação entre os projetos políticos do PT e dos golpistas. “O governo Lula, em 2004, decidiu pela implantação do programa Luz Para Todos, para atender cerca de 13 milhões de brasileiros que viviam na zona rural e não tinham acesso à energia elétrica, enquanto o governo ilegítimo quer entregar um setor estratégico como o da energia para a iniciativa privada. Deixo aqui o nosso protesto contra mais essa iniciativa perversa e maldosa do governo ilegítimo de Michel Temer”.

Na avaliação do deputado Nelson Pelegrino (PT-BA), é um absurdo a proposta de privatização da Eletrobras. “As privatizações no passado já demonstraram ser totalmente desastrosas. O que nós tivemos foi um aumento das tarifas, a desregulamentação e desproteção do consumidor”, alertou. O setor de energia, enfatizou Pelegrino, é estratégico. “Nenhum País abre mão dele. Já se fala, inclusive, que o ato seguinte também seria privatizar a Petrobras, o que é mais grave”, reforçou.

O deputado Luiz Sérgio (PT-RJ) também criticou a agenda desastrosa e entreguista do governo Temer e reforçou que “nenhum País abre mão de ser o gerente, o planejador, o estimulador do setor elétrico”. E alertou: “Se isso se concretizar, podem ter certeza de uma coisa: é o povo brasileiro que vai pagar a conta. As tarifas diferenciadas acabarão para as famílias de baixo consumo, para os pobres. A tarifa vai virar única e exclusivamente algo como uma mercadoria para se obter o lucro em cima dos trabalhadores e das trabalhadoras, do pequeno comércio, da pequena empresa”.

PT na Câmara